2 anos e meio da bomba de nêutrons no Iêmen e a mídia não noticiou

“Provável Ataque Israelense”, diz físico nuclear.

Em maio de 2015 foi lançada uma bomba no Iêmen, com as características de uma “arma tática” nuclear, no caso uma bomba de nêutrons. Foi levantada a hipótese de uma MOAB (Massive Ordnance Air Blast, apelidada Mother of All Bombs), bomba convencional para destruição de “bunkers“. Porém o avião que a lançou era um F-16, que não pode transportar tal bomba.
Obs.: O avião foi identificado pelo ruído como um F-16. A Arábia Saudita não tem F-16, mas sim F-15, com capacidade de carga ainda menor. Poderia ser um F-16 “emprestado“, pintado como um avião saudita.
“Um vídeo recebido do Iêmen, que se acredita ter sido filmado em 20 de maio de 2015, de uma explosão, quando analisada por especialistas em armas nucleares, é, muito provavelmente, uma bomba de nêutrons, que só poderia ter sido um ataque israelense. Análise de Jeff Smith, físico nuclear e ex-inspetor da AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica):
  • A. Não é uma bomba convencional de 2.000 lb. É muito maior.
  • B. É uma MOAB muito grande, maior que 4.000 lb ???? A capacidade de um F-15 ou F-16 é cerca de 2.000 lb [907 kg] de carga útil, tornando impossível lançar uma bomba MOAB dessa maneira.
  • C. O “efeito relâmpago” e duração da bola de fogo suspensa no ar, e a nuvem de cogumelo muito grande, são típicas de explosão nuclear.
  • D. Os pontos luminosos no vídeo indicam sobrecarga do circuito CCD [sensores capacitivos] da câmera, produzindo flashes brancos (quando a radiação é muito alta queima o circuito).”

Fonte: liveleak.com

 

 Além das bombas, a sede também afeta a população
(Dados de maio de 2015. Depois disso, a situação só piorou).
Quase dois terços dos iemenitas não têm acesso a água potável, disse a organização humanitária Oxfam na terça-feira, dois meses após o início da campanha aérea sob comando saudita para eliminar os rebeldes houthis, que tomaram grandes áreas, incluindo a capital Sanaa.

BOMBA-NEUTROSN-1

‘Os ataques aéreos, combates terrestres e a escassez de combustível significam que mais três milhões de iemenitas estão privados de água potável’, elevando a pelo menos 16 milhões o número total de iemenitas nesta situação, disse a Oxfam em um comunicado.
Os ataques certamente degradaram as capacidades militares da rebelião, mas não levaram a quaisquer mudanças fundamentais em campo. As perspectivas de uma solução política também permanecem muito distantes, enquanto a população civil é duramente afetada pela violência.
A Arábia Saudita e sua coalizão cometem lá, claramente, um crime contra a Humanidade. Infelizmente, à vista de todo o Mundo.
Mais sobre a bomba de nêutrons:

defesadalibia.blogspot.com.br

mauisaac.blogspot.com.br

www.globalresearch.ca

Comente!